Português Italian English Spanish

Imperdoável! Flu sai na frente, recua demais e só empata com o Vasco

Imperdoável! Flu sai na frente, recua demais e só empata com o Vasco


Imperdoável! Flu sai na frente, recua demais e só empata com o Vasco

 

Por Rodrigo Mendes -

 

Uma chance de ouro jogada no lixo. O Fluminense teve tudo para voltar ao G4 do Campeonato Brasileiro neste domingo, em São Januário, chegou a sair na frente e dominar a partida no primeiro tempo diante de um fraquíssimo Vasco. Recuou demais, inexplicável e inaceitavelmente na segunda etapa e sofreu a igualdade. Wellington Silva fez o gol tricolor e Cano deixou tudo igual já nos descontos: 1 a 1. Com o resultado, foi a 40 pontos. Deixou de alcançar a quarta posição e terá de se contentar com a sétima.

 

Em casa, o Vasco até começou o jogo tentando imprimir o ritmo. Tinha nas figuras dos argentinos Benítez (na organização) e Cano (presença de área) as peças mais perigosas. O Fluminense, porém, atuou com inteligência para suportar a pressão inicial, que não durou mais de cinco minutos, diga-se, para se organizar em campo, botar a bola no chão e procurar o ataque. Quando não havia espaço para invadir as linhas inimigas, a equipe tinha a inteligência para rodar a bola e também voltar se necessário.

A consciência tricolor não demorou a dar resultado. Com boas participações de laterais e meias e movimentação constantes, as chances começaram a aparecer. Antes mesmo dos dez, Wellington Silva aproveitou bola mal cortada pela zaga adversária e abriu o marcador. Vale o destaque no lance para as presenças ofensivas dos sempre criticados Julião e Egídio. O primeiro virou bem a bola e o segundo a mandou na área. Futebol coletivo dando resultados.

O jogo seguiu movimentado. O time cruz-maltino buscava a frente na base da correria, sem tanta qualidade. O Flu foi ganhando espaços para contra-atacar. Criou mais situações que poderiam ter terminado em gols antes do intervalo. Chutes de fora da área foram aos montes nas mãos de Fernando Miguel. Araujo, numa bola bem enfiada por Nenê por cima da defesa rival, também desperdiçou ótima oportunidade.

A etapa final foi disputada num ritmo bem mais lento em comparação à inicial. O Fluminense pareceu sentar na vantagem, tocava demais sem objetividade e fazia o tempo passar. O adversário, mesmo fraco, tinha a obrigação de se lançar ao ataque até por sua situação desesperadora na competição com a zona de rebaixamento.

Com a queda de rendimento do Flu, Marcão tentou as entradas de Ganso e Caio Paulista nos lugares de Araujo e Wellington Silva, respectivamente (além da mudança obrigatória no início por Hudson ter sentido um problema e ser substituído por Yago). O Vasco, em chute de fora da área de Talles Magno, assustou com uma bola no travessão. Com o avançar dos minutos, a equipe tricolor claramente se contentou em segurar o resultado. O exemplo disso foi numa falta sofrida por André no meio de campo perto dos 45 que ele fez menção de bater rápido para aproveitar a zaga rival aberta e ouviu um inacreditável grito de “calmaaaaaaa!” vindo do banco de reservas.

O castigo pela postura pouco corajosa tricolor veio nos descontos. Em bola lançada na área, Cano dominou livre e empatou. Dois pontos e lugar no G4 jogado na lata do lixo.

Na quarta, o Flu volta a campo contra o Atlético-GO, em Goiânia.

O Fluminense jogou com: Marcos Felipe, Igor Julião, Luccas Claro, Matheus Ferraz e Egídio; Yuri, Hudson (Yago, 6′ do 2°T) e Nenê (Fred, 38′ do 2ºT); Michel Araujo (Ganso, 26′ do 2ºT), Wellington Silva (Caio Paulista, 26′ do 2ºT) e Marcos Paulo (André, 38′ do 2ºT).